Resenha: Rei dos Malnascidos


Título: O Rei dos Malnascidos
Autor: Elias Paixão(Benn Green)
Editora: Senhor da Lenda
Páginas: 304
Ano: 2014



Sinopse: Desde tempos imemoriais, o Conselho Doszil, composto pela casta dos magos, governa o mundo. E, pela primeira vez, foram desafiados. Sob o calor escaldante do eclipse dos sóis, Fahrak começa sua luta pela igualdade, uma jornada que o Conselho fará de tudo para aniquilar. Enquanto isso, perdidos na areia do deserto, Aisha, Íris e os demais malnascidos enfrentam o maior desafio de suas vidas: sobreviver aos testes de admissão da Academia Doszil, a única chance que têm de se tornarem magos e serem aceitos na poderosa casta. Mas a simples presença deles nos testes pode representar uma afronta ainda maior que a de Fahrak.




Opinião: Esse livro chegou até mim através de parceria com o autor Elias Paixão. Ao ler a sinopse já fiquei curiosa sobre o livro e sobre como o autor desenrolaria a narrativa. A surpresa foi muito boa. O livro tem um narrativa fluida, que nos leva a viajar pelo universo que o autor criou.

O livro nos traz a historia de vários personagens, os capítulos alternam entre uma narrativa e outra, o que me deixou ainda mais curiosa sobre as outras historias paralelas, a narrativa assim fluiu muito bem.

A sociedade onde acontece a historia é toda estruturada em castas, onde os Doszilla estão no topo da pirâmide. Os Doszilla são magos muito poderosos, que parem conseguirem alcançar esse status precisam sobreviver ao treinamento da Academia Doszill. É muito difícil entrar na academia e também muito difícil sobreviver a todos os treinamentos. Aqueles que conseguem chegar ao final da trajetória se consagra Doszilla.

Uma das personagens principais da trama é a Aisha, uma malnascida, pois é filha de uma escrava com o sultão Fahrak, mas o mesmo nunca a reconheceu. A mãe de Aisha está muito doente e não consegue sobreviver ao verão, de dois sois escaldantes, que é muito quente e acaba matando os mais frágeis. Ela tem um incrível dom de sobreviver ao calor que mata a todos os mais frágeis e doentes.



- Sabemos que um indivíduo nada mais é que a personificação do seu nome completo. Aquele que não o possui, tem sua liberdade cerceada, estradas e caminhos bloqueados, portas fechadas em suas caras e o direito de serem vítimas de forças hostis - a silhueta esguia tornou-se ainda mais altiva. (p. 122)



Sem ninguém para lhe ajudar, Aisha segue para o deserto, afim de cumprir com o ritual de sepultamento. Se pai aparece para ela no deserto e lhe ajuda. E diz que ela deve seguir para Yaati para participar da seleção da Academia Doszill. Mesmo sem acreditar em sua capacidade de passar na seleção, ela segue para a Academia e lá começa realmente a aventura. Lá ela conhece dois malnascidos assim como ela que são Talif e Iris. Eles tem personalidade bem distintas, mas precisam se unir para poder sobreviver a Academia e aos outros competidores que querem logo eliminar todos os malnascidos. Além de todos os desafios Aisha ainda tem que enfrentar a meia irmã Milãh que a detesta.

Esse livro me surpreendeu e muito, foi muito além do que eu esperava. Tem um ritmo eletrizante e terminei de ler o livro rapidamente.
A resenha demorou mais de 20 dias pois tive alguns problemas pessoais no mês de fevereiro e com isso não tive cabeça de postar no blog. Mas o mês de março vai ser melhor!!!
Enfim não percam a oportunidade de ler esse ótimo livro.


3 comentários

  1. Oiiiiiii, nossa adorei conhecer esse livro, ainda não tinha visto nada sobre ele mas já comecei a gostar um pouquinho kkk, adorei essa capa, parece ser muito bom...
    Abçs

    Dá Uma Passadinha Por Lá: http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gente, não conhecia o livro, e só de ler sua resenha já fiquei louca para ler!
    Adoro esse tipo de trama, ainda mais se você diz ser eletrizante!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário!!!

Se tiver blog deixe o link para que eu retribua a visita!!!!